Armazenamento

Como deve ser realizado o correto armazenamento de produtos químicos e perigosos?

Como deve ser realizado o correto armazenamento de produtos químicos e perigosos?

 As ações de prevenção contra acidentes ocupacionais e ambientais destinam-se a assegurar que uma atividade possa estar cercada com os cuidados, mínimos para não evitar em prejuízos materiais ou mesmo contra a vida dos envolvidos, principalmente quando o assunto é o armazenamento de produtos químicos e perigosos.

Se estivéssemos falando de acidentes domésticos, as ações preventivas poderiam ser classificadas como o exercício do bom senso dos moradores da residência, no manejo e no armazenamento de produtos químicos, no entanto, são exigidos cuidados específicos.

Desse modo, neste texto, apresentam-se algumas situações que priorizam, de modo eficaz o meio ambiente, a saúde e a segurança das pessoas. Esses exemplos geram resultados positivos para o armazenamento de produtos perigosos.

Qual é o modo mais seguro de armazenar os produtos químicos e perigosos?

Atualmente, há diversos produtos químicos que possuem, muitas vezes, nível tóxico, inflamável e, até mesmo corrosivo, que podem causar enormes danos aos seres vivos, até mesmo, leva-los a morte.

Todo e qualquer produto químico que apresente risco à saúde e ao meio ambiente, deverá ter um lugar apropriado para ser acondicionado. Devem-se evitar espaços de acesso, como escadas, saguões, salas e demais lugares que possuam grande fluxo de pessoas.

É ideal que esse tipo de produto seja estocado em almoxarifado, com a devida sinalização, ventilação e saídas de ar, bem como prateleiras largas, telhado sem infiltrações, instalações elétricas impecáveis e com alta resistência a estes materiais.

Aconselha-se também utilizar indicadores e etiquetas para informar cada componente químico e produtos em caso de incêndio, entre outros materiais que auxiliam na segurança do ambiente.

Para evitar qualquer tipo de contato com esses produtos, bem como prevenir possíveis danos à saúde, relacionam-se algumas dicas:

  • Caixas de contenção de produtos químicos – além de serem de fácil transporte e leves, elas são fabricadas com um material desenvolvido para que esses produtos não entrem em contato com o solo ou qualquer situação que coloque em risco o meio ambiente.
  • Armários com ótima vasão de ar – bem como prateleiras largas e firmes, auxiliam na ventilação dos produtos químicos, retardando qualquer contato que exponha o usuário ao perigo de intoxicação, explosão, inflamação, entre outros problemas.
  • Observar as composições químicas – É importante ressaltar que alguns compostos químicos não se misturam, portanto, devem ser acondicionados corretamente, para evitar quaisquer riscos ambientais.
  • Manutenção e prevenção de instalações elétricas – isso evita chamas e explosões que são um perigo extremo, uma vez que os produtos, muitas vezes inflamáveis, ficam confinados em um almoxarifado, que é o lugar específico para seu estoque.

 Normas para armazenamento de produtos químicos

As normas estabelecidas para o armazenamento desses produtos são encontradas na Ficha de Inscrição de Segurança e Produtos Químicos (FISPQ) ou, na ausência, no site da CETESB.

Alguns produtos não possuem compatibilidade química. Desse modo, não podem ser armazenados juntos, o que poderia ocasionar grandes danos à saúde.

Vale citar que há placas sinalizadoras, como forma de proteção à vida e meio ambiente, as quais são expostas comas placas de trânsito, porém, cada uma possui seu formato e especificidade.

Entre esses exemplos, há as placas de produtos químicos em vários níveis de risco, sendo eles:

  • Explosíveis: por sua maioria em indústrias de plástico, marcenarias e carpintarias, solventes e afins.
  • Inflamáveis: os mais comuns como álcool, querosene, gasolina, etanol e derivados, que causam facilmente a combustão.
  • Tóxicos: presentes nos produtos que contêm chumbo, mercúrio, arsênico e demais compostos deste nível. São extremamente perigosos, principalmente se forem ingeridos.
  • Corrosivos: compostos químicos como ácidos e bases químicas, que podem causar degradação ao tecido humano.
  • Radioativos: são os que apresentam reações iônicas, como nitrato, por exemplo.
  • Biológicos: são aqueles relativos ao risco à alimentação, ao descarte de coletas, dejetos, bem como abrangência geral da higiene, saúde e segurança.
  • Nocivos: os que causam irritabilidade momentânea em contato com a pele, os olhos e as vias respiratórias, provocando reações com efeito rápido e de formas adversas.

Além das sinalizações citadas anteriormente, há as placas referentes a transportes, em que se incluem as de baixas e altas temperaturas, de informação para indicar desníveis, peso e carga de veículos, eletrocussão, campos magnéticos, entre outros.

Vale sempre estar atento (a) a esses produtos químicos, que causam muitos problemas à saúde, principalmente pelo contato manual, bem como provocam doenças por vias respiratórias.

Além disso, se forem expostos ao meio ambiente, eles podem provocar irreparáveis danos ao ecossistema.

Desse modo, é fundamental que as pessoas tenham acesso à correta forma de armazenamento dos produtos químicos, bem como às normas de segurança, visando à prevenção de quaisquer riscos.

E então? Como você realiza o armazenamento de produtos químicos e perigosos em sua empresa? Conte-nos no espaço abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *