Setor Industrial

DICAS IMPORTANTES PARA NÃO ERRAR NA GESTÃO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS

A gestão de resíduos industriais se tornou um processo imprescindível tanto para o atendimento da legislação, evitando sanções administrativas, quanto para os casos de descartes inadequados que geram poluição e contaminação ao meio ambiente e danos em geral à população. 

Isso mesmo. Atualmente, os resíduos industriais são considerados um dos principais responsáveis pelas agressões ao meio ambiente. Mas, afinal, o que são esses resíduos?

O que são os resíduos industriais?

Os resíduos são, basicamente, a “sobra” das grandes produções industriais que não podem ser eliminados de qualquer forma, ou seja, sem um método específico de descarte. Isso acontece porque os resíduos oriundos de processos na indústria possuem uma composição mista que, em muitos casos, pode ser altamente perigosa para o meio ambiente e para a saúde pública. 

São considerados resíduos industriais os plásticos, borrachas, óleos, papel, metal, madeira, cinzas, lodos sólidos, efluentes industriais, resíduos alcalinos ou ácidos, fibras, escórias, vidros e cerâmicas. 

A Norma Técnica ABNT NBR 10.004 classifica os resíduos sólidos quanto aos seus riscos ao meio ambiente e à saúde pública em Resíduos classe I – Perigosos e Resíduos classe II – Não perigosos, sendo subdivididos em: resíduos classe II A – Não inertes e resíduos classe II B – Inertes.

A importância de um plano de gestão de resíduos industriais 

O volume dessas sobras nas atividades industriais é tão grande que, na maioria das vezes, não é descartado corretamente. E por ser necessário um tratamento especial no momento do descarte, a elaboração de um plano de gestão dos resíduos industriais é o primeiro passo que as grandes empresas podem dar para manter o meio ambiente mais saudável. 

A elaboração dele é obrigatória, de acordo com a Lei nº 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Dessa forma, os empreendedores, que são os geradores dos resíduos, são obrigados a cuidar de todo o gerenciamento, acondicionamento, armazenagem, transporte, tratamento e destinação final do material. Essa responsabilidade é contínua e ininterrupta.

Quer conhecer algumas dicas que envolvem todo esse processo de cuidado com os resíduos? Veja abaixo:

  • Os resíduos industriais devem ser armazenados separadamente e transportados em diferentes veículos;
  • Os veículos precisam ter uma placa de identificação e receber uma destinação específica; 
  • Há condições mínimas que são exigidas para o armazenamento temporário dos resíduos. Elas foram definidas de acordo com as seguintes normas técnicas elaboradas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT): Norma Técnica ABNT NBR 11174: armazenagem de resíduos classe II – Não perigosos e Norma Técnica ABNT NBR 12235: armazenagem de resíduos classe I – Perigosos;
  • A identificação e rotulagem dos resíduos também possui normas para padronização do conteúdo. É a Norma Técnica ABNT NBR 16725: Resíduo químico – Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente – Ficha com dados de segurança de resíduos químicos (FDSR) e rotulagem.

Vale ressaltar, ainda, que as empresas devem elaborar anualmente um inventário de resíduos para ser apresentado ao órgão ambiental da região, informando os tipos, quantidades e a destinação dos resíduos gerados.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.