Meio Ambiente

Meio ambiente e sustentabilidade: Os cuidados com produtos perigosos

Bem sabemos que fabricar produtos perigosos apresenta uma quantidade diversa de riscos. Entretanto, são potencializados no transporte desses produtos, aos quais são necessários maiores cuidados e atenção em qualquer tipo de deslocamento. Evita-se desta maneira, danos às pessoas, ao meio ambiente e sustentabilidade.

No Brasil, há uma série de normas técnicas e regulamentos que estabelecem certos padrões para o transporte de produtos perigosos. Todas essas normativas são baseadas na regulamentação elaborada pela ONU (Organização das Nações Unidas), o popularmente chamado “Orange Book”.

Proteção e prevenção de acidentes

Segundo estudo elaborado por Engenheiros da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e apresentado na 36º edição do ENEGEP (Encontro Nacional de Engenharia de Produção), o uso correto dos EPI’S e EPC’S (obrigatórios), colabora de forma efetiva na proteção e prevenção de acidentes, como demonstram as listas a seguir:

  • Calça e camisa de manga comprida como parte do uniforme;
  • Sapato com biqueira de aço;
  • Óculos de segurança;
  • Capa com capuz, em caso de tempo chuvoso;
  • Protetor auricular e solar;
  • Luvas;
  • Boné ou capacete.

Danos a serem evitados: trauma auditivo, surdez, bronquite, fibrose e enfisema pulmonar, lesão de pele, dermatite, lombalgia, dores musculares, acidentes fatais, invalidez, liberação de produtos perigosos no meio ambiente, entre outros.

A Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, em seu Art. 3º, estabelece que o entendimento sobre a definição de meio ambiente é: “o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas”.

Assim sendo, qualquer degradação que altere uma dessas particularidades, direta ou indiretamente, caracteriza-se como deterioração do meio ambiente.

Meio ambiente e sustentabilidade: a importância na conservação

O Brasil é um país com uma extrema biodiversidade, gerando, assim, uma ampla necessidade na conservação ambiental.

Isso é fato, tanto que a Constituição Federal destina um capítulo dedicado ao assunto. Compatibilizar um desenvolvimento econômico e social com a preservação da natureza torna-se literalmente vital. Daí a importância de ações sustentáveis.

O SEBRAE, por exemplo, disponibiliza uma cartilha intitulada “Primeiros Passos para a Sustentabilidade nos Negócios”.

Esse manual ressalta que a prática empresarial sustentável é muito importante para a empresa a longo prazo.

Ampliando o campo de visão para além dos muros, pode-se atuar de maneira:

  • Equilibrada e economicamente viável, de forma lucrativa a curto-médio e longo prazo;
  • Correta, ambientalmente falando, com o mínimo impacto possível ao meio ambiente;
  • Justa, de forma social.

Discutir a questão de práticas sustentáveis não é por modismo, mas, sim, por necessidade!

A adoção dessas ações é um passo para a redução de custos na produção, no valor do produto e até para fortalecer a marca da empresa.

O impacto ambiental gerado por empresas e indústrias é uma pauta que está cada vez mais em voga.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo próprio SEBRAE junto a empresários, sabe-se que:

  • 18,3% disseram que a falta de conhecimento sobre sustentabilidade é vista como maior obstáculo para implementar ações na área;
  • 16,6% estão com dificuldade para encontrar cooperação ou parcerias;
  • 11,2 relatam receio em arcar com os custos necessários para adotar tais ações.

A Ambflex – Sistemas de Contenção Ambiental é uma empresa que possui a qualificação necessária para a prevenção, preparação, gerenciamento e atendimento a emergências envolvendo produtos perigosos e poluentes.

Sua missão é zelar pelo patrimônio ambiental, motivada pela competitividade, pelo compromisso e respeito ao cliente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *