Segurança do Trabalho

Organização e sinalização de produtos perigosos: Entenda a importância

O manuseio e transporte de substâncias perigosas devem seguir algumas normas de segurança, a fim de impedir acidentes que podem atingir até níveis graves. Por isso, o cuidado na organização e sinalização de produtos perigosos é imprescindível para alertar tanto funcionários quanto quem se aproxima desses materiais.

Cada material perigoso recebe um símbolo que avisa do que se trata e seus riscos, contendo, também, uma classificação que vai do menos até o mais perigoso. Além disso, é necessário preocupar-se ainda com a acomodação do material para impedir possíveis situações que resultem em vazamento ou contaminação.

Desse modo, explicaremos, a seguir, a organização e sinalização de produtos perigosos necessárias para que isso não ocorra.

Normas que estabelecem a organização e sinalização de produtos perigosos

Pallets de contencao - Organização e sinalização de produtos perigososUma das normas essenciais para a classificação na organização e sinalização de produtos perigosos é o Código ONU, determinado pela Organização das Nações Unidas.

Composto por quatro dígitos, esse código tem o objetivo de identificar a gravidade do produto de risco à vida, sendo obrigatória sua aplicação em cargas acima de 5kg.

Ademais, o número ONU deve ser aplicado no veículo de transporte em lugares específicos: na dianteira, nas laterais e na traseira. Assim, possibilita a visualização e a identificação por diferentes ângulos.

Outra regra a ser observada para a organização e sinalização de produtos perigosos é a NBR 14725 da ABNT, que normatiza as informações e os critérios de perigo de produtos químicos. Ela se divide em quatro partes: terminologia, sistema de classificação de perigo, rotulagem e Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ).

Em sua parte 2, a NBR 14725 estabelece nove classes de produtos perigosos. São elas:

  1. Explosivos;
  2. Gases;
  3. Líquidos inflamáveis;
  4. Sólidos inflamáveis;
  5. Substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos;
  6. Substâncias tóxicas e infectantes;
  7. Material radioativo;
  8. Substâncias corrosivas;
  9. Substâncias e artigos perigosos diversos;

Nos rótulos em forma de losango, dentre outras informações, devem estar descritos a classe do produto, o pictograma (desenho figurativo) de perigo, a composição química do material e a frase de precaução.

Como cuidar da organização destes produtos nas indústrias

Em adição à sinalização, é fundamental manter especial atenção também no armazenamento dos produtos perigosos. Um cuidado básico é o manuseio desses materiais somente com EPIs, que consistem na proteção dos olhos, da face, da pele e da proteção respiratória.

Afora isso, o ambiente deve ser bem ventilado e ter saídas de emergências desobstruídas.

Para garantir a segurança do almoxarifado onde serão armazenados os produtos perigosos, a norma NBR 14725 estabelece, ainda, a separação dos materiais respeitando suas propriedades físico-químicas.

Vale salientar, também, a importância do controle de temperatura, umidade, pressão e luz do sol no ambiente.

O piso da edificação precisa ser totalmente nivelado, impermeável e antiderrapante, com o efeito de retardar a ação de chamas e ter resistências física e química.

Outro cuidado pertinente é o uso de bacias de contenção durante o manuseio e transporte desses produtos, a fim de impedir vazamentos e, consequentemente, a contaminação, o que pode colocar em risco o ambiente do entorno e a vida de pessoas próximas ao local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *