Meio Ambiente

Qual elemento químico é considerado o mais perigoso?

Há vários fatores considerados para a classificação de um elemento químico perigoso, como as condições de exposição e as quantidades desse elemento em algum produto químico perigoso para a saúde e para o meio ambiente.

A toxicidade é avaliada a partir de dose, concentração, solubilidade, forma de contato e tempo e frequência da exposição do elemento considerado perigoso. Assim, são estabelecidas as medidas protetivas de segurança que devem ser tomadas, de acordo com a periculosidade.

Chumbo: o elemento químico metálico mais poluente do mundo

O chumbo é um elemento químico muito usado em diversos setores da indústria e demorou a ser considerado perigoso, por ter sua classificação como metal pesado.

bacia de contenção

O uso de chumbo aumentou com a industrialização, principalmente após a popularização da produção automobilística. É calculado que existam 300 milhões de toneladas de chumbo poluindo o meio ambiente.

Especialmente de 1979 até 1990, a contaminação nas águas, no solo e no ar crescia cada vez mais – e segue assim até os dias de hoje. É estimado que a concentração de chumbo no sangue de pessoas que viveram na era pré-industrial era 500 vezes menor em comparação a hoje.

Principais maneiras pelas quais o produto com chumbo age de modo poluente no meio ambiente

O chumbo é essencial para a produção do mundo contemporâneo, mas esse metal pesado está se acumulando pelo planeta.

Confira como a poluição por esse elemento químico ocorre:

  • Reciclagem inadequada de baterias automotivas: a partir da fundição de componentes metálicos feita de forma errada é liberado chumbo no ambiente, que é absorvido pelo solo e até mesmo pelo ar, contaminando a população local;
  • Combustíveis: os gases de escapamentos de automotivos liberam chumbo para a atmosfera, causando poluição aérea e inclusive problemas respiratórios;
  • Aparelhos eletrônicos: o descarte incorreto de aparelhos eletrônicos costuma ser uma das principais causas da poluição de metal pesado na natureza, em especial pilhas e lâmpadas fluorescentes.

Além da contaminação ambiental, que causa mudanças em estruturas naturais de forma irreversível e acumulativa, a poluição causada por chumbo afeta também a saúde de pessoas, às vezes de forma silenciosa.

Por isso, o CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) determina uma concentração máxima de chumbo em água doce (0,03 mg/L) e para água salina e salobra (0,01 mg/L) no Brasil, principalmente por conta da mineração e do processo de fundição de chumbo.

Esse metal pesado se espalha pelo ar e se deposita no solo, mas a principal contaminação ocorre em lagos, rios e oceanos por conta de escoamento pela chuva, que carrega as partículas suspensas para reservatórios de água naturais e planejados.

Entre os efeitos da contaminação de chumbo na saúde das pessoas se encontram:

  • Alteração da biossíntese da hemoglobina e causa de anemia;
  • Aumento da pressão sanguínea;
  • Danos aos rins;

É necessário que as indústrias que utilizam esse elemento químico se preocupem com seu manuseio e transporte, utilizando sistemas que evitem vazamentos ou derramamentos de chumbo no meio ambiente, como forma de preservação e cuidados.

Os profissionais que trabalham com materiais compostos por essa substância também precisam estar bem equipados para evitarem acidentes e contato com a substância.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *