Segurança do Trabalho

Segurança na indústria química: Prova dos 9

Investir na segurança dos trabalhadores e do ambiente é essencial para gerar lucros. Isso também gera renome da empresa no mercado. Aliás, segurança na indústria química, uma vez que lida com compostos de alta periculosidade, é requisito importante.

O convívio intenso com produtos inflamáveis, tóxicos, explosivos e com outras características nocivas requer medidas que impeçam falhas. Por isso, para evitar acidentes que coloquem em risco o trabalhador e a própria empresa, preparamos nove estratégias que ajudarão a tornar seu ambiente mais seguro.

9 passos para garantir segurança na indústria química

  1. Treinamento do pessoal

O treinamento é importante para que os trabalhadores saibam seguir os protocolos de segurança. Assim saberão manusear, armazenar e transportar reagentes químicos no dia a dia. Esta etapa envolve o uso de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual), sinalização, mapa de riscos, ergonomia, normas de armazenamento, simulações etc.

bacia de contenção

  1. Armazenamento dos produtos por classificação

Os produtos químicos de alta periculosidade são categorizados em nove classes:

  • materiais explosivos;
  • gases;
  • líquidos inflamáveis;
  • sólidos inflamáveis;
  • peróxidos orgânicos;
  • substâncias tóxicas e infectantes;
  • materiais radioativos;
  • substâncias corrosivas;
  • artigos e substâncias nocivas;

Essa classificação, elaborada pela Organização das Nações Unidas, tem o objetivo de definir o armazenamento das substâncias conforme sua natureza físico-química, impedindo que reajam entre si e causem acidentes.

  1. Uso de equipamentos de contenção

Além de rotular os materiais e separá-los em categorias, é importante armazená-los em recipientes de alta contenção, a fim de impedir vazamentos, como em bacias ou diques. Tais reservatórios impossibilitam o contato da substância química com o solo e com a incidência de luz e calor, além de possuírem material anticorrosivo.

  1. Verificação de equipamentos de emergência

Procedimento de alta importância, pois é necessário criar uma rotina para avaliar a situação dos equipamentos que ajudam em casos de acidentes, como vazamentos ou incêndios.

São alguns dispositivos imprescindíveis de emergência os sinalizadores, extintores e mangueiras de incêndios, portas de emergência e sprinklers, por exemplo.

  1. Identificação adequada dos produtos

A rotulagem de produtos químicos deve seguir os padrões mencionados na NBR 14725. Da mesma os critérios estabelecidos pelo GHS (Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos).

Essa identificação é fundamental para informar quanto ao perigo à saúde ou ao ambiente que o produto pode causar, requerendo, portanto, o máximo cuidado no manuseio.

  1. Condições das embalagens dos produtos

A NBR 11564 normatiza as condições das embalagens que acondicionarão os produtos químicos perigosos com o intuito de impedir vazamento ou fácil violação. Além disso, as embalagens devem receber selo ISO 14001, homologadas para que seja atestado o seu desempenho.

  1. Uso de EPIs

De acordo com a Norma Regulamentadora NR6, os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) são os produtos ou dispositivos que visam protegê-lo de riscos que ameacem sua saúde ou segurança durante o desempenho da função laboral.

Trata-se de uma medida obrigatória, tanto de fornecimento por parte do empregador quanto de uso por parte do empregado.

Os EPIs podem ser capacetes, óculos, protetor facial ou auditivo, respirador purificador de ar, luvas, botas, braçadeiras, macacão, entre outros, a depender da atividade da empresa.

  1. Processos de limpeza industrial e organização

A sanitização do local é importante para eliminar riscos de contaminação,  tanto ao meio ambiente assim como aos trabalhadores. Ademais, a higienização do local mantém um espaço saudável para todos e contribui para a conservação das instalações da empresa, bem como de máquinas e suprimentos.

  1. Prática dos procedimentos de emergência

Um ponto importante é manter uma equipe preparada para agir em emergências, seja em um incêndio ou ainda para prestar primeiros socorros. Além disso, o estabelecimento da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) visa identificar áreas de riscos e montar rotas de fuga, caso necessário.

Motivos para elaborar planos de segurança industrial

Com todos os pontos observados, é possível concluir que uma estratégia eficaz de segurança na indústria química é um investimento de longo prazo.

Instalações seguras, produtos perigosos armazenados em recipientes de alta resistência e funcionários treinados para lidar com substâncias nocivas e agir com destreza em emergências colaboram para uma ótima organização empresarial.

Assim, a indústria tem seu funcionamento em ordem, com controle de todos os processos produtivos, feitos conforme as normas dos órgãos de vigilância, e sem colocar seus colaboradores em risco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *