Sustentabilidade

Sustentabilidade: As expectativas para 2021 na indústria brasileira

É praticamente impossível conceber um cenário otimista para o desenvolvimento industrial brasileiro sem levar em consideração a sustentabilidade. Mesmo com o crescimento surpreendente do setor no final de 2020, segundo a Confederação Nacional da Indústria.

A sustentabilidade baseia-se em estratégias que mesclam a preocupação ambiental e a produtividade a pequeno, médio e longo prazos. Além de buscar o equilíbrio, as práticas mais sustentáveis incluem diversos setores e apresentam uma tendência de mercado.

Uma tendência que veio para ficar: sustentabilidade e indústria

A sustentabilidade é vista, hoje, como o futuro das empresas. Suas práticas devem levar em consideração a diminuição de recursos não renováveis. Uma regulamentação mais rigorosa com relação à segurança do trabalho e a demanda pela utilização de produtos ecologicamente corretos.

Preservação ambiental e sustentabilidade

Para o mercado industrial brasileiro, principalmente focado em segmentos como o petroquímico, extração de minérios, produção energética e alimentos, os cuidados têm de ser redobrados.

Equilíbrio econômico, social e ambiental

As expectativas para o 2021 prometem ultrapassar os objetivos corporativos em prol de um negócio mais responsável, sobretudo quando o assunto envolve a manipulação de produtos químicos e as práticas de segurança em situações de vazamento, derramamento e transporte desses.

De acordo com a legislação, em especial a Resolução 5848/2019 que versa sobre o transporte de produtos perigosos, é possível identificar alguns cuidados essenciais e que devem ser observados por empresas de transporte ou por aquelas que trabalham com produtos e sistemas de segurança ambiental. Confira alguns desses cuidados, a seguir:

– Definir a classe segundo a classificação de Produtos Perigosos da ONU para, assim, promover a identificação correta dos materiais;

– Providenciar a sinalização adequada durante as operações de carga, transporte, descarga, transbordo, limpeza e descontaminação;

– Utilizar  embalagens permitidas pelas Instruções Complementares desta resolução e que estejam regulamentadas pelo INMETRO;

– Investir em diques de contenção, pavimentação e impermeabilização das áreas em que o manuseio dos materiais será feito;

– Possuir materiais para a correção do vazamento químico como bentonita, vermiculita, bem como areia ou mantas absorventes;

– Fazer uso de equipamentos de proteção e prevenção previstos por lei;

– Armazenar levando em conta a sustentabilidade do negócio, devendo-se observar uma série de fatores como a utilização de caixas de contenção, o acondicionamento de produtos levando em consideração a sua composição, sem mencionar a manutenção constante das instalações elétricas.

Conclusão

Caso haja vazamento, após a identificação da substância, é imprescindível recorrer às instruções das fichas de informação dos fabricantes (FISPIQ).

Apesar de ser a chave para o futuro, a sustentabilidade é o grande desafio para a indústria no Brasil em 2021. O investimento em tecnologias que priorizem a produção de energia limpa é um dos passos decisivos para colocar em prática a Política Nacional de Segurança Química.

Com o intuito de evitar áreas contaminadas e prejuízos com o tratamento de intoxicações e doenças crônicas, essa política desenvolvida pelo Ministério do Meio Ambiente visa minimizar os efeitos adversos das substâncias químicas ao meio ambiente e à saúde humana.

Para mais informações visite o site antigo.mma.gov.br e a página da Agência Nacional de Transporte Terrestre em gov.br/pt-br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *